O

curso de Bacharelado em Ciências e Tecnologia – BC&T é novo na UFRN. A primeira turma de 500 alunos entrou no semestre 2009.2. As aulas do curso são ofertadas preferencialmente no turno indicado (Vespertino ou noturno), podendo ocorrer atividades acadêmicas em outro turno.

O caminho natural desse curso é a formação generalista e, ao longo de sua formação, os alunos estudarão conteúdos básicos da área de Ciências e Tecnologia. Porém, conforme observa-se na Figura abaixo (Estrutura do Curso), esse curso tem um modelo diferente dos tradicionais ofertados na UFRN. Trata-se de um modelo conhecido como formação em dois ciclos. Isto significa que você, ao optar por fazer este curso com duração de 03 anos, terá oportunidade de reingressar em outro curso vinculado ao BC&T.

Observe que a formação em dois ciclos exige que o aluno, ao longo do curso, se submeta a até 02 seleções internas: uma após concluir os componentes curriculares obrigatórios dos períodos 1,2 e 3, onde poderá escolher aprofundar-se em uma das áreas (Tecnologia ou Ciências); e outra, ao final do 4º período, se optar pela área de Tecnologia, quando poderá decidir por seguir no segundo ciclo em uma das Engenharias.

As seleções internas têm por base o desempenho acadêmico do aluno: além da média de suas notas ao longo do processo, as seleções levam em consideração o tempo gasto (em semestres) para cursar todos os componentes curriculares, bem como os números de trancamentos e reprovações do aluno. Por isso, esse curso privilegia os alunos que têm interesse e autonomia para os estudos, que não se acomodem apenas com os conhecimentos da sala de aula e estejam o tempo todo buscando aprofundar-se, trazendo suas dúvidas e questões para os espaços de aprendizagem, tais como os grupos de estudo, as práticas nos laboratório, nas sessões de monitoria e cursos livres propostos pela Escola de Ciência e Tecnologia.

Por fim, a profusão dos conhecimentos em ciência e tecnologia de maneira ampla na sociedade atual é um fato, basta observarmos a velocidade, a intensidade e a variedade com que se colocam novos produtos no mercado. Isso implica na necessidade de profissionais com conhecimentos generalistas para trabalhar nas variadas etapas da produção e circulação. Mais é claro que além do generalista é necessário também o especialista que vai responsabilizar-se pela qualidade técnico-científica, por isso, esse curso com formação em dois ciclos também oportuniza que o aluno aprofunde seus estudos em uma área especifica. O que é um diferencial para os alunos que irão prestar vestibular e não têm clareza quanto à escolha da profissão. Vale salientar que esse modelo de curso já está implantado em outras universidades do país, como a UNIABC e a UFERSA.

Entenda o processo formativo

Ao escolher uma formação em dois ciclos, o aluno deve obrigatoriamente integralizar os componentes curriculares dos níveis (semestres) 1, 2 e 3. Quando estiver no limiar de concluir esses componentes, o aluno deve indicar, por ordem de preferência, qual opção deseja seguir diante da 1a seleção interna. As opções são:

  1. Tecnologia. O aluno enseja uma formação de segundo ciclo nos cursos de Engenharia; caso seja selecionado, ele deve cursar um semestre de formação comum às tecnologias (nível 4, tecnologia) para submeter-se a uma segunda seleção.
  2. Cursos da área de Ciências. Como não há semestre comum na opção Ciência, o aluno opta por um dos quatro cursos de segundo ciclo da área. Uma vez que o aluno é selecionado, ele tem vaga garantida no referido curso de segundo ciclo e já começa a cursar disciplinas do curso escolhido, mas continuará sendo aluno do BCT até integralizar as 2400 horas-aula, quando receberá o diploma de Bacharel em C&T . Após isto, ele reingressará diretamente no curso escolhido (reingresso específico) para finalizar a formação de segundo ciclo.
  3. Generalista. Opção em que o aluno terá uma formação generalista, a ser concluída em 3 semestres subsequentes. Esta também é a opção padrão para os alunos que optarem, mas não forem contemplados com uma vaga na opção Tecnologia ou em algum curso de ciências. Para tais alunos, são previstos 6 eixos de conhecimento em que os mesmos poderão escolher componentes curriculares para compor o seu currículo.

Ao concluir esses componentes, o aluno participa naturalmente da 1a seleção interna, como ilustrado na Figura acima. A partir de critérios de seleção bem definidos, o aluno é classificado segundo o CRA3 (Coeficiente de Rendimento Acadêmico do nível -semestre- 3). O primeiro colocado tem sua opção confirmada e assim por diante até os números de vagas (para tecnologia e para os cursos de ciência estejam esgotadas. Os próximos alunos serão inseridos na opção Generalista.

Ao final da primeira seleção, os alunos estão divididos em três grupos: os que optaram por tecnologia e irão participar de outra seleção; os que já obtiveram vaga em um dos cursos da área de ciências e irão começar a cursar os conteúdos específicos; e os que optaram pela formação generalista ou não obtiveram vagas nas duas primeiras opções. Ao contrários dos alunos que optaram por cursos subsequentes das Ciências, os alunos da opção tecnologia ainda não garantiram suas vagas nos cursos subsequentes, tendo que passar por uma nova seleção ao final do semestre 4.

O aluno que optou e conseguiu uma das vagas para a opção tecnologia, cursará um semestre de "Estudos Comuns às Engenharias". Durante a integralização dos 6 componentes curriculares obrigatórios desse nível, o aluno deverá novamente indicar, por ordem de preferência, a formação a seguir relacionada à segunda seleção. As opções são:

  1. Cursos de 2o ciclo de tecnologia (Engenharias).
  2. Interdisciplinar. Caso o aluno, ao longo do semestre, perceber que não há vocação para o estudo das engenharias, ele pode optar por seguir a formação interdisciplinar. Possui duas modalidades:
    1. Interdisciplinar geral: após o aluno cumprir a carga horária de disciplinas obrigatórias, ele tem livre escolha em relação aos componentes curriculares optativos, para completar a carga horária total do curso (2400h).
    2. Interdisciplinar direcionado: após o terceiro período (900h horas obrigatórias integralizadas), o discente poderá participar da seleção interna, onde poderá escolher entre 3 ênfases internas ao BCT (não possuem curso de 2º ciclo vinculados a elas!). São elas: Computação Aplicada, Negócios Tecnológicos e Neurociências.

caminhos de formação do BCT

 

Caso o aluno garanta uma das vagas em um curso subsequente, este cursará nos semestres 5 e 6 disciplinas dos respectivos cursos, mas continua sendo aluno do BCT até integralizar 2400h-a, quando receberá o diploma de Bacharel em C&T. Neste momente, através do reingresso específico, o aluno ingressará automaticamente no curso anterioremente escolhido, onde completará a formação em dois ciclos.


Com relação às seleções internas, os alunos que não conseguirem vaga na opção pretendida, pode pleiteá-la mais uma vez no semestre relugar seguinte, mediante requerimento à coordenação.

Número de vagas disponíveis para as seleções na ênfase de Tecnologia

Atualmente, o número de vagas para esses cursos são:

  • Tecnologia Ambiental (M/T): 40 vagas/semestre
  • Tecnologia Biomédica (N): 40 vagas/semestre
  • Tecnologia de Computação (M/T): 40 vagas/semestre
  • Tecnologia de Materiais (T): 20 vagas/semestre
  • Tecnologia de Materiais (N): 20 vagas/semestre
  • Tecnologia Mecânica (M/T): 40 vagas/semestre
  • Tecnologia Mecânica (N): 25 vagas/semestre
  • Tecnologia Mecatrônica (M/T): 40 vagas/semestre
  • Tecnologia de Petróleo (M/T/N): 30 vagas/semestre
  • Tecnologia de Telecomunicações (N): 25 vagas/semestre

Os alunos que concluírem o BCT vinculados a uma das ênfases de Tecnologia, poderá pleitear no referido curso de engenharia de 2º ciclo, em que o número de vagas é 1,25 vezes o número ofertado pela ênfase.

Vale salientar que, qualquer aluno que concluir o BCT, também poderá, através de Processo Seletivo de Reocupação de Vagas residuais, ingressar em outros cursos de graduação oferecidos pela UFRN.