Nesta terça-feira, dia 06 de novembro de 2018, teve início a VI edição da Semana de Ciências e Tecnologia (SCT). Com duas sessões orais, em que são apresentados diversos artigos científicos, nos quais cada autor apresenta o tema, sua metodologia de trabalho, e analisa possíveis resultado. Além disso, há mostra de profissões das engenharias de Materiais, Mecatrônica e de Petróleo.

Abrindo o ciclo de palestras, o Prof. Kepler Borges França, da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) falou sobre dessalinização de águas. O professor, que tem experiência em tecnologias de membranas para produção de água potável para o consumo humano, afirma que foi importante levantar essa temática em uma semana de ciências e tecnologia, para futuros engenheiros, pois isso poderá despertar o interesse em pensar em saúde e em processos simples e viáveis que podem ser implantados na região Nordeste.

DSC00563

Prof. Kepler Borges França, fundador e coordenador dos Laboratórios de Referência em Dessalinização (LABDES) e de Membranas Cerâmicas (LABCEM) ambos da UFCG

Logo após, teve início o desafio NO BRAIN NO GAIN, que consiste em um jogo de perguntas e respostas, com a participação de equipes formadas por estudantes de todos os períodos do bacharelado em Ciências e Tecnologia. Paralelamente ao desafio, ocorreu a primeira apresentação da ECT Cultural, com a participação do cantor André Rangell.

Os dois primeiros minicursos da Semana foram: "IRON MAIDEN: uma Jornada através da História", com o Prof. Lauro Wanderley Meller (UFRN), e "Design Thinking: metodologia de resolução de problemas complexos e novos negócios", com o mestrando do Programa de Pós-Graduação em Ciência, Tecnologia e Inovação (PPgCTI) Julio Mariano de Oliveira Neto.

A segunda palestra do dia foi com o Prof. Cláudio Silva da UFRN, sobre Direito digital, Regulação e Telecomunicações. Tópicos sobre privacidade na internet e Internet das Coisas (IoT) também foram abordados. “Hoje a comunicação está em toda parte. Não só entre pessoas, mas entre pessoas e coisas, e coisas entre outras coisas, essa é a realidade. Hoje trabalhamos com essas diferentes demandas, tanto entre pessoas que se comunicam, como coisas”, afirma o professor.

DSC00608

Prof. Cláudio Silva do Departamento de Engenharia de Comunicações (DCO) da UFRN