A empresa BlinDog, fundada e coordenada pela mestre em Ciência, Tecnologia e Inovação Luana Wandecy, foi uma das selecionadas pelo programa InovAtiva Brasil com uma das startups de maior destaque nacional. A seleção para o programa de aceleração para negócios inovadores, realizado pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), ocorreu ao longo de todo o ano, no entanto, a jornada da empresa potiguar e da própria Luana deram início muito antes. 

Sua trajetória iniciou-se com o seu ingresso no Programa de Pós-graduação em Ciência, Tecnologia e Inovação (PPgCTI) da Escola de Ciências e Tecnologia (ECT) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), ainda em sua primeira turma, com um projeto de impressão fetal 3D, onde o ultrassom feito por médicos parceiros seria impresso tridimensionalmente e comercializado para as gestantes. O projeto, no entanto, mostrou-se inviável em decorrência dos processos internos da startup que não eram eficientes nas conversões do arquivo de ultrassom para um arquivo imprimível na impressora 3D.

Luana Wandecy, aluna egressa do PPgCTI e atual CEO da BlinDog

Luana Wandecy, aluna egressa do PPgCTI e atual CEO da BlinDog

Foi só a partir da metade do segundo semestre que o BlinDog começou a ganhar forma. Luana ressalta como decorreu a transição para um novo projeto: "Fiz a mudança para o projeto da BlinDog e isso foi importante pois apliquei todas as ferramentas de gestão aprendidas em disciplinas na startup, e isso me fez mudar pontos de gestão e planejamento, sendo de extrema importância. Além disso, também contei com a ajuda de Gláucio [Brandão] e Efrain [Pantaleón], que me orientaram e, sempre que tive dúvidas em algum processo, me ajudaram.

A concepção da Blindog surgiu a partir de uma experiência pessoal de Luana, na época, dona de uma cachorra cega que teve sua saúde afetada em consequência de inúmeros traumas neurológicos decorrentes dos impactos contra a parede e móveis. A startup desenvolve uma coleira que emite sinais sonoros e táteis a fim de fazer com que os animais de estimação desviem dos obstáculos à sua frente.

"No Startup Weekend Natal tive a oportunidade de conhecer Natália, minha sócia, que possuía um cachorro cego e passava pelos mesmos problemas. A partir daí fizemos inúmeros protótipos e levamos a ideia à frente, até chegar em um MVP [produto mínimo viável, sigla em inglês] que pudesse ser testado por usuários betas, de forma a validar a solução", afirma Luana.

No fim de agosto, o evento Bootcamp Nacional, que compõe o programa InovAtiva Brasil, elegeu o BlinDog como umas das 12 startups de maior destaque do ciclo atual, a única potiguar presente na lista. Luana acrescenta: "Pudemos contar com o Sebrae do RN para nos ajudar em todas as etapas do processo, tanto com o deslocamento para as cidades que precisávamos estar presencialmente, como com mentorias. Acabamos sendo um dos 12 destaques nacionais do InovAtiva Brasil, e mantemos a conexão com o Sebrae desde então".