No período de 19 a 21 de setembro de 2018, ocorreu o II Congresso Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento em Tecnologia Assistiva (CBTA), na Universidade do Sagrado Coração de Bauru (USC), em Bauru-SP, juntamente com o II Encontro Regional de Atenção à Pessoa com Deficiência (ERAPD). Esse congresso teve como objetivos apresentar inovações e disseminar a pesquisa e o desenvolvimento de tecnologia assistiva, que consiste na união de recursos e serviços que contribuem para a autonomia e o desenvolvimento de  habilidades funcionais de pessoas deficientes. Um dos trabalhos apresentados foi o da mestranda do Programa de Pós-Graduação em Ciência, Tecnologia e Inovação (PPgCTI), Ana Caline Escarião de Oliveira.

Durante a participação no II CBTA, Ana Caline apresentou o trabalho intitulado: “A pesquisa de observação participante como elemento determinante no processo de desenvolvimento de novos produtos para surdos”. Trata-se de uma pesquisa de observação participante com dois casais de surdos, pais de filhos ouvintes, para subsidiar o projeto de um novo produto, a fim de auxiliar na identificação do choro do bebê. O artigo foi selecionado para ser publicado como capítulo no livro “Tecnologia Assistiva. Pesquisa e Conhecimento - II”.

1

Ana Caline, de 29 anos, residente em João Pessoa/PB, ingressou no curso de Design de Produto do Campus IV da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) no ano de 2008. Participou dos projetos “PI&TT/NE” e “Consolidando e semeando NITs e Redes”, ambos da rede NIT-NE, como bolsista de desenvolvimento tecnológico e industrial do CNPq, tendo atuação no núcleo de inovação tecnológica de sua universidade, a agência UFPB de inovação tecnológica (INOVA-UFPB).

O trabalho de conclusão de curso dela, “Buátech”, apresenta um produto de tecnologia assistiva, que consiste em uma babá eletrônica em conjunto com uma pulseira vibratória. Essa tecnologia, destinada a mães e pais surdos, se tornou o primeiro TCC da UFPB a ser patenteado e o primeiro projeto a registrar um desenho industrial em toda a universidade. O “Buátech” foi desenvolvido com parceria entre os cursos de Design e Engenharia Elétrica da UFPB pelos designers Ana Caline, Cainã Costa e Kléber Barros, 4 engenheiros eletricistas, sendo os professores Antônio Augusto Lisboa e Juan Maurício, além de Higo Taiwan e Jonathan Moura, coorientados pelo professor e designer Kléber Barros (UFPB) e Orivaldo Santana (UFRN).

Segundo a mestranda Ana Caline, a maior motivação na idealização do produto foi a seguinte: “O projeto de uma babá eletrônica para surdos surgiu de uma experiência pessoal, da convivência diária com surdos. Tenho duas primas surdas e, desde muito cedo, convivi com muitos surdos. Assim, aprendi LIBRAS, língua brasileira de sinais. Tendo em vista as dificuldades que os surdos enfrentam para se comunicarem e a realização de atividades cotidianas, eu quis criar algo que pudesse dar autonomia a eles para identificarem o choro dos filhos, sem que precisassem do auxílio de um ouvinte”.

Foi com o projeto “Buátech” que Ana Caline ingressou no PPgCTI, vinculado à Escola de Ciêcias e Tecnologia, ainda em 2018, tendo como orientador o professor Edgard de Faria Corrêa. A mestranda declarou, por fim, que espera abrir uma startup e lançar o produto no mercado.